A síndrome dos ovários policísticos, também conhecida como SOP, é uma das principais causas de infertilidade feminina – estudos estimam que cerca de 40% das mulheres com a doença tenham dificuldade para engravidar. 

A SOP é um distúrbio endocrinológico que causa alterações hormonais, o que facilita a formação de cistos (pequenas bolsas que contêm material líquido ou semissólido) nos ovários. Essas estruturas surgem em números diversos e podem alterar os ovários, fazendo com que eles aumentem de tamanho e tenham seu funcionamento prejudicado. 

Quais são as causas da síndrome dos ovários policísticos? 

Ainda não são claras as razões pelas quais uma mulher pode desenvolver a síndrome dos ovários policísticos durante sua vida reprodutiva, mas pesquisadores acreditam que a doença pode estar relacionada a alguns fatores. Dentre eles, podemos citar: 

  • Histórico familiar de síndrome dos ovários policísticos; 
  • Alimentação inadequada; 
  • Metabolismo; 
  • Sedentarismo; 
  • Resistência à insulina; 
  • Sobrepeso ou obesidade. 

Quais são os sintomas da síndrome dos ovários policísticos? 

Além de distúrbios hormonais, é comum que a mulher com SOP apresente também: 

  • Aumento de pelos no rosto, nos seios e no abdômen; 
  • Pele mais oleosa e acneica; 
  • Aumento de peso sem razão aparente; 
  • Menstruação irregular ou mesmo ausência de menstruação; 
  • Queda de cabelo; 
  • Dificuldade para engravidar. 

Como a síndrome dos ovários policísticos afeta a fertilidade? 

A síndrome dos ovários policísticos causa alterações hormonais que impactam diretamente o ciclo menstrual, tornando-o irregular, ou seja, prejudicando a fertilidade da mulher. 

A doença faz com que ocorra um aumento da produção dos chamados hormônios androgênios (testosterona total e livre) pelos ovários, alterando o padrão natural de ovulação. 

Com isso, é comum que a mulher passe a ovular cada vez menos e a apresentar ciclos irregulares, com intervalos longos entre uma menstruação e outras – muitas ficam totalmente sem menstruação por meses. 

Nessas condições, os ovários não conseguem liberar os óvulos para fecundação.  

Como a SOP é tratada? 

A síndrome dos ovários policísticos é considerada uma doença crônica, ou seja, ela não tem cura, mas pode ser tratada. O tratamento considera os sintomas e incômodos gerados à mulher pela condição.  

O uso de medicamentos anticoncepcionais costuma ser indicado para ajudar na regulação do ciclo menstrual, além de reduzir a oleosidade da pele e o aumento dos pelos. Para o hirsutismo (excesso de pelos no rosto), podem ser administrados medicamentos que bloqueiam os hormônios andrógenos ou tratamentos a laser podem ser indicados.  

O controle de peso também deve ser recomendado, portanto, é preciso também atenção com a alimentação.  

Como engravidar com síndrome dos ovários policísticos? 

Para as mulheres diagnosticadas com síndrome dos ovários policísticos e que estão encontrando dificuldades para engravidar, o primeiro passo é procurar por um especialista em reprodução assistida para que ele avalie a relação entre a doença e a infertilidade. 

Em geral, para as mulheres que desejam engravidar, podem ser recomendados medicamentos indutores da ovulação ou procedimentos de reprodução assistida. Muitas vezes, o controle adequado do peso, aliado à uma alimentação equilibrada, pode favorecer uma gestação natural. 

Entre os tratamentos de reprodução humana, o especialista pode recomendar o coito programado. Neste tratamento são utilizadas medicações hormonais que estimulam a ovulação. Durante alguns dias, a paciente é monitorada, por meio de exames de ultrassom, para que seja identificado o melhor período para o casal intensificar as relações sexuais, ou seja, qual é o “pico” de ovulação.  

Caso a paciente não tenha sucesso com esse tipo de tratamento, podem ser recomendadas outras técnicas, como a inseminação intrauterina e a fertilização in vitro (FIV).  

É possível prevenir a síndrome dos ovários policísticos? 

Não há uma maneira de prevenir a doença. Mas o que a mulher pode fazer, sempre, é cuidar de sua saúde de maneira global, pois isso promove o melhor funcionamento de todos os sistemas do organismo, evitando diversos problemas de saúde.  

Se você se identificou com este tema e acredita que sua dificuldade para engravidar possa estar relacionada à síndrome dos ovários policísticos, agende uma avaliação com um especialista para o diagnóstico e tratamento corretos.