A configuração familiar tem passado por mudanças ao longo dos últimos anos, e o avanço da medicina tem permitido que o sonho de ter uma família possa ser alcançado por todos. Não é diferente entre os casais homoafetivos, sejam aqueles formados por homens ou por mulheres.  

Opções de tratamentos para casais homoafetivos femininos 

O casal formado por duas mulheres tem duas opções de tratamento: a fertilização in vitro e a inseminação intrauterina. Seja qual for o procedimento escolhido, é preciso contar com a doação de espermatozoides, seja por meio de um banco de sêmen, seja por meio de um parente até 4º grau, desde que não ocorra em consanguinidade.  

Ambas as mulheres, independentemente da técnica, podem participar ativamente da gravidez. Por exemplo: uma delas pode doar seus óvulos, enquanto a outra gestará o bebê – é a chamada gestação compartilhada. Ou uma das mulheres poderá ter seu óvulo fecundado pelo espermatozoide doado e ela mesma continuar a gravidez.  

Essa escolha, vale dizer, deve ser feita considerando-se fatores importantes, como a idade e a saúde da mulher. Isso porque as chances de sucesso em uma gestação diminuem conforme a mulher vai ficando mais velha. Além disso, aumentam os riscos tanto para o bebê quanto para a mãe.  

Em alguns casos, a gestação pode ser concretizada com a doação de óvulos, o que pode ser necessário nas seguintes situações: 

  • Diminuição da reserva ovariana, em grande parte por conta da idade avançada; 
  • Falência ovariana prematura; 
  • Realização de tratamentos oncológicos que levaram à infertilidade; 
  • Mulheres que passaram por tratamentos de reprodução humana anteriormente, mas que não obtiveram sucesso.  

Nesse processo, doadoras e receptoras têm mantidas sua identidade anônima, a não ser nos casos em que a doação seja feita por parente de até 4º grau, e a doação não deve ter caráter comercial ou lucrativo. 

Opção de tratamentos para casais homoafetivos masculinos 

Para casais de homens que desejam formar uma família, a fertilização in vitro é a única opção. Nesse caso, eles precisarão contar com a doação de óvulos e com um útero de substituição. Porém, segundo determinação do Conselho Federal de Medicina (CFM), a mulher que doa os óvulos não pode ser a mesma que cederá seu útero.  

Para os casais homoafetivos masculinos, doadora e receptores devem ter mantidas suas identidades em sigilo, exceto quando a doação for realizada por uma parente de até 4º grau. Em relação ao espermatozoide que fecundará o óvulo, o casal escolhe qual dos dois parceiros fará a doação.  

Já a mulher que doará temporariamente seu útero deve pertencer à família de um dos parceiros num parentesco consanguíneo até o 4º grau, tendo respeitada a idade limite de até 50 anos. Não existindo essa possibilidade, o casal deverá solicitar autorização do Conselho Regional de Medicina (CRM).  

Também é necessário que essa pessoa já tenha um filho vivo e, se ela for casada ou viver em união estável, o companheiro ou companheira também precisa assinar um documento aprovando a cessão do útero. 

Seja no tratamento para casais homoafetivos masculinos ou femininos, o médico especialista em reprodução humana solicitará uma série de exames ao casal para garantir que os parceiros têm boa saúde reprodutiva.  

Como escolher a clínica de fertilidade ideal em São Paulo 

Mas para que esse sonho se torne realidade, é preciso contar com uma clínica de reprodução humana experiente nos tratamentos que podem ser realizados por homens e mulheres.  

Há diversas clínicas que oferecem esses tipos de tratamento. Em todos os casos, uma clínica de reprodução assistida deve ser, em primeiro lugar, um local de acolhimento a todos que desejam realizar o sonho de ter um filho.  

Para casais ou solteiros que pertencem à comunidade LGBTQIA+, uma clínica de reprodução assistida, com sua equipe e corpo clínico, deve garantir segurança, respeito e carinho desde a chegada à clínica até o tratamento finalizado. 

Todo o processo deve ser feito com ética e cuidado e para que isso aconteça as pessoas envolvidas devem seguir à risca as determinações legais. Dessa forma, todo o tratamento pode ser feito com tranquilidade. 

Em São Paulo, existem diversas clínicas que o paciente pode procurar. Mas como sabemos que fazer esta escolha pode ser muito difícil, principalmente para quem nunca teve contato com este meio e muitas vezes não sabe nem quais aspectos analisar, separamos a seguir algumas dicas do que deve ser observado ao escolher uma clínica. 

Variedade de tratamentos oferecidos 

É importante que a clínica de reprodução assistida tenha equipe médica e suporte tecnológico para oferecer uma variedade de tratamentos que englobem desde os casos mais simples de infertilidade até os mais complexos.  

Suporte emocional 

O processo de reprodução assistida gera muita expectativa e incerteza em relação ao resultado, o que pode ser fonte de ansiedade, angústia e até frustração. Assim, um ponto fundamental é se sentir acolhido e ter certeza que a equipe fornecerá todo o suporte emocional que o momento pede. 

Muitas vezes são necessárias várias tentativas para se obter sucesso na concepção. Trata-se de um processo desgastante, por isso, tenha certeza de que você vai querer pessoas acolhedoras ao seu lado. 

Custo-benefício do tratamento 

Além de analisar se os procedimentos oferecidos cabem no seu bolso, também é fundamental fazer uma pesquisa de mercado para avaliar se os preços oferecidos estão dentro do esperado. 

Isso porque existe todo o custo de manutenção de um laboratório moderno, insumos de qualidade, materiais descartáveis, dentre tantos outros. O menor preço não deve ser o quesito exclusivo de escolha.  

Conheça a equipe médica 

Saber quem são os profissionais que vão ajudar nessa jornada tão importante é fundamental para que você se sinta seguro e o tratamento tenha bons resultados. A parceria entre médico e paciente precisa ser firmada desde o primeiro momento para que os objetivos sejam alinhados e vocês trabalhem juntos. 

Infraestrutura 

A infraestrutura de uma clínica de reprodução assistida também é um ponto importante que deve ser avaliado. Ela deve acompanhar a excelência da equipe médica, com instalações acolhedoras, modernas e ter equipamentos de ponta com certificação de qualidade para promover o melhor resultado possível para o tratamento. 

Para realizar os procedimentos envolvidos em um tratamento de reprodução humana é preciso contar com tecnologia adequada, o que você só encontra em uma clínica com boa infraestrutura. 

Na Huntington, cuidar de você é nossa prioridade. Para isso, utilizamos técnicas e tratamentos reconhecidos internacionalmente, além de possuirmos instalações modernas e equipamentos de ponta e de contarmos com uma equipe multidisciplinar que te acompanha em todos os passos do tratamento – corpo clínico, embriologistas, equipe de enfermagem –, além de apoio psicológico e nutricional para dar mais segurança aos seus procedimentos de reprodução assistida. 

Nossa missão é acolher casais e solteiros que desejam aumentar a família. Há quase 30 anos temos ajudado na realização desse sonho.